Morro de São Paulo Econômica

Muito comum nas rodas de conversa entre mochileiros é a discussão sobre como seria o destino perfeito para mochilar. Cada um tem seu ponto de vista, mas características como ausência de carros, belas paisagens, muito espaço para caminhada, povo acolhedor, boa comida, pontos turísticos interessantes, calma e tranqüilidade durante o dia e alguma bagunça à noite são quase unanimidade.

O fato de ser fácil de chegar (duas horas de catamarã a partir de Salvador ou meia-hora de lancha rápida de Valença) não deixa dúvidas: descansar por lá só é viável na baixa temporada. Felizmente passei pelo local numa belíssima e ensolarada semana de abril, escolha arriscada porém bem calculada para aproveitar o que a ilha tem de melhor. Como em quase todo o Estado da Bahia, lá não faz frio e as águas são calmas, mornas e límpidas o ano todo. Bem-vindo a Morro de São Paulo, paraíso do mochileiro praieiro!

Para ir, diversas capitais Brasil afora possuem ônibus direto para Valença, como a Viação São Geraldo que leva os paulistas há mais de 50 anos. Para quem já está na Bahia, a Viação Águia Branca cobra preços razoáveis que variam conforme a época do ano.  De lá as lanchas para Morro saem por R$10 (R$3 por cabeça) e fazem o trajeto em cerca de meia hora. Se seguir este caminho, previna-se, pois na cidade só tem Bradesco, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Se puder gastar mais, pegue no catamarã em Salvador por cerca de R$60 (confira preços e horários atualizados aqui) e vá direto. No verão, não deixe de reservar pelo menos uma semana antes e lembre-se de que viagens por mar aberto dependem das condições do clima (tenha à mão as informações e telefones para ir por terra, caso um Plano B seja necessário). Não esqueça seu remédio para enjôo porque o mar por lá é bem agitado, principalmente no inverno. E se você chega em Salvador de avião, saiba que o aeroporto é longe, então programe-se para passar um dia por lá antes de embarcar de volta ou saia de Morro pelo menos 12h antes para evitar problemas. Informações completas de Salvador aqui. Avisos importantes aqui.

Decidir quando ir é fácil. Se você gosta da combinação de “sol, calor e gente” tem que ir de dezembro a março, especialmente no reveillon e carnaval, quando Morro se traveste de inferno e o turista sai pra guerra atravessando montanhas de lixo, exércitos de gente e ataques aos ouvidos. Se não é do seu gosto, sua época é de abril a novembro, lembrando que feriados e férias também atraem turistas e a proximidade de Salvador é uma facilidade relevante. Abril e maio são chuvosos, porém de longe os mais baratos e tranqüilos. Uma semana de sol, calor e silêncio é o melhor que você pode esperar nessa época e eu afirmo que é possível porque foi um privilégio do qual posso me gabar. Olho na previsão do tempo e pé na estrada.

Morro é uma linda ilha que conta basicamente com cinco praias com os sugestivos nomes de 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª. Sem rodeios, a Primeira é a mais urbana, a Segunda é a da balada, da bela Terceira saem os barcos de passeio, constituindo a Quarta praia os quatro quilômetros mais charmosos da ilha habitada, recheada de piscinas naturais de águas mornas, límpidas e rasas. Reserve um dia inteiro para caminhar por ali, banhar-se e recarregar as baterias rumo a Quinta praia, separada por um mangue bem preservado e de paisagem mais selvagem. Dali a caminhada é livre por praias menores e picadas na mata, piscinas naturais mais profundas, mais peixe e menos baladação. Silêncio total e contato íntimo com a natureza na baixa temporada. Imperdível.

Comer é fácil. Para os que gostam de fazer a própria comida, há um mercadinho que tem o básico a preços tradicionalmente extorsivos. Para lanches rápidos e econômicos, as dicas são as creperias e os trailers da segunda praia (destaque para trailer do Açaí, com frutas frescas e bem preparadas).  Para quem quer gastar um pouco mais, há comida japonesa, italiana, brasileira, mediterrânea, frutos do mar, variados restaurantes que servem peixe de todas as formas possíveis e imagináveis e até pizzarias, surpreendentemente boas (Bianco e Nero, com vista privilegiada da rua principal e massa bem tirada; e Da Mercedes, com ambiente festivo e cardápio criativo).

A botecagem também marca presença, sendo encontrados facilmente PFs de R$6 a R$10, mas a dica é gastar um pouco mais para comer peixe de boa qualidade e bem servido por volta dos R$20 para duas pessoas na terceira praia.  Peixe, frango e bife à parmegiana (lembrando que na Bahia o prato leva presunto) são vendidos a R$10, normalmente acompanhados de arroz, feijão, salada, farofa e pimenta da boa. Para fãs, moquecas de peixe, bobó de camarão, polvo, lagostas, siri catado e similares podem ser encontrados em restaurantes a quilo. Todos os preços são de baixa temporada e podem dobrar na alta.

Aproveite também os sorvetes exóticos e não deixe de visitar algum dos variados e criativos bares locais. A noite em Morro é tão interessante quanto o dia e você vai se surpreender com a variedade dos drinks à venda nos bares, quiosques e carrinhos da segunda praia. De bares à luz de vela a danceterias, tudo por lá muda muito a cada estação, mas pode ser aproveitado em qualquer época do ano e dia da semana. Morro é festa o ano todo, principalmente pela presença de um sem número de estrangeiros, principalmente no verão europeu.

Se tiver tempo, não deixe de fazer pelo menos dois passeios de barco. O primeiro, mais popular, é o que leva até o vilarejo da Gamboa – que também pode ser acessado à pé – passando pela praia do Porto de Cima, leva para um banho de argila que as garotas adoram e termina nos bancos de areia à esquerda do cais principal. Boa diversão por cerca de R$40 pelo barco, mas atenção para a parada do almoço que vai consumir no mínimo R$20.

Por R$50 ou menos é fácil encontrar quem leve até a lindíssima Ilha de Boipeba, ao lado de Morro de São Paulo. Trilhinha na mata, boa comida, algumas das paisagens mais belas de todo o litoral baiano e até algumas aulinhas de ecologia baiana com garotos locais são os atrativos. Os kids cobram R$5 para explicar sobre as palmeiras de dendê, a comida por ali varia de R$20 a R$60 o casal (vale a pesquisa) e também é possível se hospedar, com ainda mais tranqüilidade do que em Morro. Passeio inesquecível e praticamente obrigatório. Chorar rende descontos de até 20%.

Por fim, antes de ir pesquise um pouco sobre a história do local, que é bastante interessante. Sua privilegiada localização geográfica já foi cenário de inúmeros ataques de esquadras francesas e holandesas, e histórias de corsários e piratas. Se puder mergulhe e visite também as ruínas do forte, a cachoeira, o morro e a igreja Nossa Senhora da Luz (mal conservada em 2008). Lembrando que o local é uma Área de Proteção Ambiental, criada em junho de 1992 e com 433 km² de rico e frágil ecossistema estuarino, dotado de manguezais, restingas e remanescentes de Mata Atlântica povoados por belas aves de todas as cores e espécies.

Hospedagem Econômica:

Como é tradição na região, ao chegar em Morro de mochila nas costas prepare-se para ser atacado por hordas de carregadores, exploradores, guias e espertinhos de toda sorte. Se quiser ajudá-los, acerte o preço antes e explique o tipo de hospedagem que está procurando, deixando sempre claro que não pagará mais que o combinado. Se quiser sair de casa com algumas opções e procurar por conta própria, seja paciente ao dispensá-los e siga seu caminho educada porém decididamente.

*  Pousada Coqueiro do Caitá – Melhor custo-benefício da ilha para mochileiros, a pousada tem capacidade de 81 leitos com banheiro privativo, ar condicionado, tv no quarto, frigobar, piscina e serviço de lanchonete. Há opções mais caras com hidromassagem e varandas com redes, mas o preço do quarto de casal fica em torno de R$50 a diária, já com café da manhã (pães, bolos, frutas, café, leite e doces). Situada num ambiente tranqüilo e arborizado, fica no início da terceira praia, próximo da agitação notuna e ao lado de onde saem os barcos para passeio, porém num ambiente bastante quieto e acolhedor. Pode chorar no preço e pedir para usar a internet da recepção. Muito procurada por estrangeiros. Site oficial aqui. Contato: (0xx75) 3652-1194
Fax: (0xx75) 3652-1046,
pelo email coqueirodocaita@morroaovivo.com.br ou MSN coqueirodocaita@hotmail.com.

* Hostel Morro de São Paulo – Rua da Fonte Grande, s/n. Credenciado a Hostelling International, o albergue é um dos mais novos da ilha e conta com boa infra-estrutura. Quartos privativos, de casal e coletivos, com ar condicionado ou ventilador de teto. Serviço pago de internet e lavanderia. Tarifa individual a partir de R$25. Contato: (0xx75) 3652-1521, (0xx75) 9962-1287 ou pelo e-mail reservas@hosteldomorro.com.br. Site oficial aqui.

* Pousada Milennium II – Localizada na segunda praia, bem próximo às baladas. De ambiente familiar, o forte do lugar é o farto café-da-manhã, com pães, croissants, frutas e sucos.Próxima ao mar, tem capacidade de apenas 32 leitos, sala de TV, varanda com redes, banheiro privativo e opção de ventilador de teto ou ar condicionado. A partir de R$30 o casal. Contato pelo telefone (0xx75) 9148-2097, e-mail/MSN nesmarwt@hotmail.com ou no skype pelo “marisaynestor”.

Há diversas outras opções de hospedagem, que vão de quartos simples no centrinho a hotéis luxuosos à beira mar. Qualquer pesquisa no google ou em sites especializados facilita bastante o trabalho, mas nada como uma boa caminhada ao chegar lá para sentir o ambiente. Analise bem o local antes de fechar, evitando quartos de frente para a rua ou próximos de bares pois a noite o barulho pode incomodar bastante. Verifique a qualidade da água que sai dos chuveiros, pois a estrutura nem sempre é boa, sobretudo na baixa temporada. Por outro lado, é nessa época que a pechincha atinge seus melhores resultados, com descontos de até 50% dependendo do número de noites. E boa viagem!

Share

0 pensamento em “Morro de São Paulo Econômica”

  1. Muito obrigada pelo texto! Vou passar 2 dias em Morro de SP e 2 dias em Boipeba. Queria entender melhor como é esse transporte de um pro outro. É fácil conseguir quem leve? Eu vi essas empresas que fazem o transfer, mas achei tão caro.

    1. Adeline, obrigado pela visita.
      O jeito mais barato de ir a Boipeba é chegar na rodoviária de Valença (de ferry boat é o mais comum ou de barco a partir do cais do Mercado Modelo) e de lá pegar um ônibus para Torrinha às 11h ou 14h. O ônibus demora cerca uma hora e meia para vencer o trajeto e lá em Torrinha há vários barcos fazendo a conexão até Boipeba em 1h (uns R$25). Na época eu peguei um catamarã, de Morro mesmo, lá na segunda praia que é de onde saem a maioria dos passeios e transfers. Lembro que tinha um esquema de ir de jipe também (mas não sei como era o trecho final ou se estava incluído). Dá uma ligada em alguma pousada da segunda praia e se informe. A galera é bem receptiva e vai te ajudar com certeza.
      Se não conseguir me dá um toque que eu tento localizar a info pra você! Depois conte pra gente como foi! Boa viagem!

  2. Adorei as dicas….
    Estava indecisa em qual praia ficar, com preferência na segunda por conta do agito. Mas sabendo que são todas bem próximas, de fácil acesso e seguro mesmo durante a noite, me tranquilizou. Vou decidir a hospedagem agora.

    Obrigada

    1. Demorou, Carol. Curto demais seu blog! Já peguei muita informação lá antes de viajar e agora que acompanho pelos feeds sempre confiro quando tem coisa nova.
      Só ando meio sem tempo de escrever (e não tenho viajado taaaanto assim) mas fique a vontade para copiar, “guestear”, enfim, tamo junto.
      Eu precisava dar um tapinha aqui nesse blog, que já tá bem feinho visualmente e com infos bem desatualizadas. Nem sei como o pessoal continua vindo aqui… acho que chegam pelo google, hehehe…

  3. cara, muito bom cada comentário q vc fez!! mt bom msm! já fui em morro umas 10 vezes, eu acho! nunca enjoo. sempre tem algo novo pra ver e coisas boas a recordar… fui desde a época de “lisa” da facul, até hj q já formei… como sou baiana é mais fácil o meu acesso à ilha. estou indo agora em dezembro de novo, levando uma amiga paulista!! ficarei 5 dias lá numa pousada na 2a praia. minha dúvida é: dezembro lá costuma chover? ai que medo de nao pegar sol e manter o bronze..

    abração!

    1. Chuva na Bahia é de abril a agosto. No resto do ano também chove, mas nada parecido com o que sua amiga paulista sofre nessa época. Dê aquela checadinha antes de sair, mas se planejar com antecedência é muito difícil você não conseguir se adequar para os dias de sol…

  4. Raulzito, valeu as dicas que vc me deu sobre MORRO! adorei o lugar, a Pousa tem msm um ótimo custo-benefício (é limpa, agradável e com facil acesso ao burburinho e a ferveção da 2ª praia e a tranquilidade e paz da 4ª praia! Perfeito!
    Espero voltar em breve…Abçs.

  5. Vanessa, já te mandei a resposta por email, mas fica aqui a dica para quem quiser conhecer: a pousada fica sim bem perto do mar, menos de cinco minutos. E está localizada numa ruazinha ao lado da via principal, o que ajuda na tranqüilidade caso você queria dormir bem na alta temporada. Qualquer coisa é só escrever!

  6. Douglas, eu não sou da ilha, apenas viajei para lá. Dê uma googlada que você encontra diversos sites especializados em casas para alugar por lá, associações de imobiliárias locais etc. Não me lembro de ter visto academias por lá… mas não duvido, pois a ilha está crescendo e há bastante estrutura por lá.

  7. Vou pra Morro no final de Julho e escolhi através das suas dicas a Pousada Coqueiro do Caitá para me hospedar. A minha dúvida é a seguinte: fica bem próx. ao mar? Obg.

  8. ola camarada pode me informa ser tém academia de musculação la preço de casa media de quanto p comprea caso possa me informa obrigado

    1. Camarada, eu não moro lá e não sou muito amigo de academias, mas sei que algumas pousadas tem. A Pousada Natureza, por exemplo, divulga que tem equipos bacanas (veja aqui: http://goo.gl/98yYi ) mas não sei se é aberta ao público. Boa sorte!

  9. Opa.

    É possível ficar na quarta praia tranqüilamente, mas você precisará caminhar um pouco para pegar os barcos na terceira. Há opções na terceira praia para comer, que estarão um pouco mais perto de você, mas as mais baratas estão entre a primeira e a segunda praia.

    De qualquer forma, sempre tem alguns PFs bem gostosos para duas pessoas por cerca de 15 reais. Andando um pouco você encontra.

    De qualquer forma, não deixe de ir porque o lugar é maravilhoso! E mesmo que você fique na quarta praia, lembre-se que não ficará indo e voltando tanto para a pousada, já que tem passeios pra todo lado!

  10. oi, Estou pensando em ir ao março, alguém pode me informar onde se pode comer bem e barato, e uma outra dúvida é sobre os passeios, como por exemplo se eu me hospedar em hotel que fica na 4 praia, conseguirei com facilidades pessoas que fazem este tipo de serviços

    1. Opa.

      É possível ficar na quarta praia tranqüilamente, mas você precisará caminhar um pouco para pegar os barcos na terceira. Há opções na terceira praia para comer, que estarão um pouco mais perto de você, mas as mais baratas estão entre a primeira e a segunda praia.

      De qualquer forma, sempre tem alguns PFs bem gostosos para duas pessoas por cerca de 15 reais. Andando um pouco você encontra.

      De qualquer forma, não deixe de ir porque o lugar é maravilhoso! E mesmo que você fique na quarta praia, lembre-se que não ficará indo e voltando tanto para a pousada, já que tem passeios pra todo lado!

  11. Passarosolto, eu tinha a mesma dúvida que você quando fui. Pode ficar tranqüila!! As três primeiras praias são muito próximas e o acesso é muito fácil e bem iluminado à noite. Fui na baixa temporada e mesmo assim sempre havia caminhantes a qualquer hora entre as três praias. Pessoas com alguma dificuldade de locomoção podem se incomodar com a escada entre a primeira e a segunda praias, mas não é nada fora do comum. Depois conte como foi!

  12. Oi! Eu li uma parte do teu relato sobre o Morro de São Paulo, mas vou ler o resto com mais calma em breve…Pretendo ir em Jan..A princípio, tenho uma dúvida: Eu posso ficar hospedada, por exemplo, em alguma pousada da praia número 1, mas é fácil chegar até a região onde está a praia 2, NA PARTE DA NOITE?…Por que assim, é de fácil acesso se deslocar de uma para a outra caminhando a qualquer hora do dia ou da noite?

    1. Bem, eu tinha a mesma dúvida que você quando fui. Pode ficar tranqüila!! As três primeiras praias são muito próximas e o acesso é muito fácil e bem iluminado à noite. Fui na baixa temporada e mesmo assim sempre havia caminhantes a qualquer hora entre as três praias. Pessoas com alguma dificuldade de locomoção podem se incomodar com a escada entre a primeira e a segunda praias, mas não é nada fora do comum. Depois conte como foi!

Deixe uma resposta